24/09/2018 às 04h52min - Atualizada em 24/09/2018 às 04h52min

MAIS CIVISMO PARA MUDAR O BRASIL

A construção de uma consciência nacional de amor e respeito ao país é a base para a formação de cidadãos mais honestos e solidários

Antonio Brasil
O brasil era conhecido lá fora como um lugar acolhedor, povo caloroso e alegre, apesar de inúmeras dificuldades internas. Atualmente somos conhecidos como o país que não deu certo, onde impera o crime e a corrupção, o país do mensalão e do petrolão. Essa imagem é resultado de sucessivos governos que administraram nosso país sem compromisso com os interesses nacionais. Locupletaram-se do poder visando o autoenriquecimento e a perpetuação nele a todo custo, em detrimento das necessidades coletivas.

Temos visto governos anunciar a boca larga que o país está melhor e uma grande parcela da população foi retirada da pobreza. Melhor? Será? Eu desafio a você leitor(a) apontar um parente ou amigo seu que deixou de ser pobre nos últimos quinze anos, por conta das medidas econômicas ou sociais tomadas por esses governos.

O que nós brasileiros sabemos é que o nosso Brasil precisa ainda de muitas mudanças para se tornar um país melhor, sem tantas desigualdades e injustiças. Para que essas transformações ocorram é necessário a ajuda e colaboração de seu povo. Diversas vezes ouvimos falar em civismo, em ter amor pela pátria, respeito perante os símbolos nacionais, conhecer o hino nacional, a nossa história, isso é fundamental a todos os brasileiros, enfim, precisamos ser patriotas. Mas o que é o civismo ou patriotismo e qual a sua importância?

O civismo consiste em uma atitude positiva, consciente e construtiva do cidadão no seio da comunidade. Estamos falando de um civismo real que vincula material e espiritualmente o cidadão à Pátria, levando o cidadão a amar seu país e assumir compromisso maior com o Estado de Direito Democrático e a Formação da cidadania no contexto nacional.

Assim, a prática do civismo leva inevitavelmente a um estado de espírito altruísta, elevado, que objetiva o bem de todos. Por exemplo, o cidadão patriota respeita as leis, não joga lixo na rua, menos ainda constrói puxadinhos na calçada ou para além de seu terreno. Não invade a propriedade alheia, não rouba, não mata, não usa drogas, porque quem usa drogas alimenta o crime organizado e o seu filho pode ser a próxima vítima. O cidadão consciente é sabedor que essas condutas (além de outras) são prejudiciais a coletividade e educa seu filho para aprender e respeitar o professor em sala de aula. Atitudes simples que fazem um país melhor.    

De fato, o patriotismo é importante, diria até que é imprescindível. Pois, esse deve ser o primeiro passo para motivar nosso povo a querer lutar por essa nação, a fazer com que as pessoas descruzem os braços e arregacem as mangas para construir o Brasil que queremos. Onde haja oportunidade para todos, crianças com saúde e alfabetizadas, onde os hospitais públicos estejam sempre em ótimas condições, possibilitando um tratamento decente aos adoentados, onde os pais possam sair às ruas com seus filhos tranquilamente a qualquer hora do dia sem medo ou receio de ser assaltado ou que apareça um bandido de repente para lhes fazer algum mal.

A construção de uma consciência nacional de amor e respeito ao país é a base para a formação de cidadãos mais honestos e solidários. Esse é o caminho para que surjam líderes com reputação ilibada, competentes e zelosos do erário público, suficiente para tomar frente dessa luta e promover as reformas necessárias para termos um presente e um futuro próspero, com saúde e educação de qualidade, paz e segurança em casa e nas ruas, com infraestrutura urbana de um país de primeiro mundo para todos os brasileiros.

O Brasil é um país generosamente abençoado por Deus, tem tudo para dar certo e servir de exemplo a todas as outras nações. Então o que falta? Talvez esteja faltando você se vestir de verde e amarelo e fazer a sua parte.
 
Link
Relacionadas »
Comentários »