02/04/2019 às 05h34min - Atualizada em 02/04/2019 às 05h34min

DESCASO COM EDUCAÇÃO EM AUTAZES

Alunos de Autazes não terão mínimas condições de obter bons resultados nas avaliações do MEC e ingressar na faculdade

Antonio Brasil Vieira
Estudos do MEC revelaram que de cada quatro alunos que concluem o ensino fundamental, três saem do ensino fundamental sem saber ler, escrever e fazer as quatro operações matemáticas (adição, subtração, divisão e multiplicação).

Sete de cada dez alunos do 3º ano do ensino médio têm nível insuficiente em português e matemática. Entre os estudantes desta etapa de ensino, menos de 4% têm conhecimento adequado nestas disciplinas. É o que mostram os dados do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) 2017 divulgados pelo Ministério da Educação - MEC. (https://g1.globo.com/educacao/noticia/2018/08/30/7-de-cada-10-alunos-do-ensino-medio-tem-nivel-insuficiente-em-portugues-e-matematica-diz-mec.ghtml)

Rossieli Soares, ex-ministro da Educação, ao analisar os dados do MEC disse que o ensino médio “não está agregando” conhecimento aos brasileiros. "Estamos realmente com o ensino médio falido. E resultados muito ruins."
 
Em Autazes o quadro parece ser bem pior. Aqui a baixa qualidade da educação estampa essa realidade constatada pelo MEC. Na escola Estadual GM-3 os alunos do 1º ano do ensino médio estão sem professor de matemática, geografia e história desde o início do ano letivo. Verdadeiro absurdo o enorme prejuízo que isso representa aos alunos, aos pais e a sociedade autazense em geral. Vejam, estamos iniciando o mês de abril e até o presente momento não se vislumbra a solução para o problema. 
 
A impressão que fica é que há falhas na gestão da escola e da secretaria de Estado da educação. Não há professores suficientes, não há agentes de segurança, sequer porteiro na escola para controlar a entrada e saída dos alunos. Livros jogados nas escadarias, cocô de pombo e sujeira para todo lado.  
 
Não é essa a educação que queremos para Autazes. Nossos filhos merecem educação melhor. Até quando nossos filhos vão precisar sair de Autazes para poder ter acesso à educação de qualidade?

Uma das consequências da baixa qualidade da educação de Autazes é o número irrisório de estudantes que anualmente conseguem ingressar na faculdade pública. A diferença entre o total de formandos no ensino médio e aqueles que ingressam na faculdade é triste e deveria servir de alerta para gestores, educadores, políticos, e toda a sociedade autazense.

Por conta disso, muitos são obrigados a pagar faculdade particular para seus filhos. Outros, por falta de condições financeiras, desistem de estudar e acabam frustrando seus sonhos e, em regra, os sonhos e projetos da família. O que é lamentável.

Esse quadro precisa mudar. Está na hora de nossas escolas assumirem um compromisso e celebrar uma parceria com os pais e responsáveis dos alunos. É bom lembrar que os pais são os representantes legais dos menores e tem o direito/dever de saber e acompanhar a vida escolar de seus filhos.
 
Nesse sentido, os gestores e professores devem comunicar aos pais tudo que acontece na vida escolar dos alunos. Assim como é necessário a gestão transparente, o plano pedagógico, o calendário escolar anual e a segurança nas escolas, da mesma forma acredito que é importante reunir com os pais/mães e responsáveis, inseri-los nesse projeto, criar “grupos de whatsup” para informar sobre tarefas e trabalhos escolares, buscando elevar os resultados e médias dos alunos. É preciso trazer de volta os pais para dentro da escola, esse relacionamento é fundamental para a melhoria da educação em nosso Município.
 
Como está não pode continuar. Por nesse trilho os alunos de Autazes não terão mínimas condições de obter bons resultados nas avaliações do MEC (PROVA BRASIL, ENEM, PSC, SISU, etc) e ingressar na faculdade.    
Link
Relacionadas »
Comentários »