Família procura corpo de ente querido para ser enterrado

Morador da Cidade de Poconé–MT, localizada à 100 km da Capital Mato-grossense, Erasmo Benedito da Silva, tinha 50 (cinquenta) anos de idade, estava internado no Hospital Santa Casa de Misericórdia, diagnosticado com Covid-19, em decorrência da doença, veio a falecer ás 6:00 horas da manhã, do dia 28 de julho de 2020.

Contudo, não bastasse todo o sofrimento da família e toda a situação complexa e atribulada que já estavam vivendo, houve ainda um acontecimento que chamou bastante a atenção de todos, acontecimento este que não foi apenas a morte do estimado Erasmo e nem o grande número de casos, mas sim o desaparecimento de seu corpo, sim, o seu corpo simplesmente desapareceu.

Ao saberem da angustiante notícia os familiares procuraram os responsáveis pelo Hospital para que houvesse a liberação do corpo e também do atestado de óbito do falecido, para que fosse levado para a Cidade de Poconé, onde deveria ocorrer o sepultamento. Com isso, um primo de Erasmo ficou no Hospital aguardando a liberação, mas foi ficando aflito pois já se passavam mais de 4 (quatro) horas de espera, assim por volta das 18:00 horas foi convidado a entrar para que fosse realizado o reconhecimento do falecido. No entanto, o inesperado aconteceu, ao entrar não encontrou o corpo de seu primo uma vez que este já havia sido confundido por outro corpo e havia sido enterrado como indigente. Enquanto isso, familiares aguardavam ansiosos para o enterro de seu ente querido.

Não há dúvidas de que o ocorrido se trate de um erro extremamente grave, sem possível reparação, de modo que enquanto a família aguardava o seu corpo simplesmente foi enterrado como indigente, sem o mínimo sinal de respeito e consideração. Desse modo, a família desde então tem buscado, através dos mais diversos meios legais, maneiras de encontrar o corpo do querido Erasmo Benedito da Silva e com isso realizarem o seu sepultamento de forma correta, merecedora e humana, já que até mesmo a cova continua aberta à espera de seu enterro, na Cidade de Poconé.

A reportagem do Esporte na Rede MT entrou em contato com a assessoria jurídica do  hospital, mas até o momento não obteve resposta.

Da redação/Aloísio Miranda

ASSISTA O VÍDEO ABAIXO

× FALE CONOSCO