08/12/2020 às 10h55min - Atualizada em 10/12/2020 às 00h00min

Prefeitura anuncia Cozinhando pela Vida III e investimento para produção de marmitas para população vulnerável

Organizações interessadas devem se candidatar via e-mail até às 23h59 do dia 12 de dezembro

SALA DA NOTÍCIA Gazeta da Semana
www.SalaDaNoticia.com.br
Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, anunciou nesta segunda-feira (07) a retomada do Cozinhando pela Vida, que contrata organizações da sociedade civil para a produção de marmitas destinadas à população vulnerável e em situação de rua. Com um investimento total de R$ 1,5 milhão, o edital do projeto está disponível até às 23h59 do dia 12 de dezembro. 

“Com o Cozinhando pela Vida I e II, nós distribuímos cerca de 138 mil refeições prontas para a população vulnerável da cidade de São Paulo. O projeto é completo e muito importante, especialmente durante a pandemia do coronavírus, pois além de levarmos alimentos para quem mais precisa, também incentivamos à geração de renda das entidades, que empregarão cozinheiros e profissionais da área que estão desempregados”, destaca a secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso. 

As propostas deverão atender uma série de requisitos, como, por exemplo, priorizar a compra de insumos e alimentos de comerciantes nos arredores da cozinha utilizada, incentivando o comércio local. A entidade deve, também, contratar no mínimo 20 e no máximo 50 cozinheiros ou profissionais de cozinha que atualmente estejam desempregados e sem alternativa de geração de renda. 

O plano de trabalho também prevê o uso de pelo menos uma e no máximo cinco cozinhas que estejam de acordo com as legislações sanitárias vigentes. A distribuição das marmitas deverá ser próxima do local de produção, especialmente em locais de alta vulnerabilidade e insegurança alimentar na cidade. A organização deverá entregar, pelo menos, 500 refeições diariamente e no mínimo 30 mil marmitas até o fim do vínculo de parceria. 

“As entidades poderão utilizar cozinhas próprias ou fazer uso de espaços cedidos gratuitamente por parceiros. É interessante destacar que o local de preparo deve ser próximo dos pontos de entrega das marmitas, facilitando o deslocamento da equipe”, comenta Aline Cardoso. 

Para participar, a organização deverá produzir um plano de trabalho que deve, obrigatoriamente, conter: identificação, histórico da entidade, público alvo, objetivos e metas, metodologia trabalho, equipe do projeto, composição das receitas e despesas necessárias para o projeto. A proposta deverá ser enviada até às 23h59 do dia 12 de dezembro no e-mail cosan@prefeitura.sp.gov.br. Não serão considerados documentos em meio físico. 

Os documentos serão avaliados por uma Comissão de Avaliação, que irá analisar a coesão e coerência do plano de trabalho, quantidade de marmitas produzidas diariamente, valor do repasse solicitado e logística para produção, aquisição de produtos e entrega das refeições. O resultado será publicado no Diário Oficial do município e também no site da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e trabalho: www.prefeitura.sp.gov.br/desenvolvimento 

Em caso de dúvidas, os interessados devem encaminhar os questionamentos para o e-mail cosan@prefeitura.sp.gov.br até às 15h do dia 11 de dezembro. Acesse o edital na íntegra e os anexos do plano de trabalho no link: http://www.bit.ly/cozinhandopelavida3 

Projeto Cozinhando pela Vida 

A iniciativa, idealizada pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, contrata entidades e organizações da sociedade civil para a produção de marmitas que são direcionadas para a população em situação de rua ou vulnerabilidade econômica e alimentar. Realizado entre julho e outubro, a primeira e segunda edição do projeto contou com a participação de quatro entidades, que totalizaram a produção de 138 mil refeições, entregues nas regiões vulneráveis do centro da cidade e da zona norte de São Paulo.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »