15/01/2021 às 01h49min - Atualizada em 15/01/2021 às 01h49min

Brasil pede maior cargueiro militar do mundo para levar oxigênio ao Amazonas

A aeronave é equipada com quatro motores que permite que grandes volumes de carga sejam colocados rapidamente e sem dificuldade.

Por Carlos Martins
© Lockheed Martin – USAF
O maior cargueiro de uso exclusivo militar do mundo, o Lockheed C-5M Super Galaxy, pode vir ao Brasil para transportar os cilindros de oxigênio tão necessários no Amazonas para combate à Covid.
 

Essa é a ideia apresentada pelo Deputado Federal Marcelo Ramos (PL-AM), que cita a indisponibilidade de jatos para fazer o transporte de outras regiões do país para o Amazonas, que registrou ontem mais de 200 mortes diárias por causa do COVID-19.


O pedido teria partido do governador Wilson Lima e também foi repassado a Eduardo Bolsonaro, filho do presidente e que chefia a comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados.

O Itamaraty também estaria participando das tratativas, conversando com a Embaixada dos EUA em Brasília, que confirmou o recebimento do pedido e informou que está em contato com as autoridades brasileiras para entender o assunto.

Ramos cita o avião Galaxy, que é o Lockheed Martin C-5M Super Galaxy, maior cargueiro das Américas e maior militar do mundo, ficando apenas atrás do civil e ucraniano Antonov An-225 em capacidade de carga volumétrica e tamanho.

A aeronave é equipada com quatro motores, possui portas dianteira (subindo o nariz) e traseira (abrindo uma parte da cauda), que permite que grandes volumes de carga sejam colocados rapidamente e sem dificuldade. Segundo dados da Força Aérea Americana (USAF), o C-5M Super Galaxy pode levar até 36 pallets de carga, com peso total de carga útil de 127 toneladas.
 

Não está claro se o pedido feito pelo Brasil seria apenas para uma aeronave para ajudar na logística dentro do país, que segundo o deputado está com indisponibilidade de jatos para o serviço, ou que seria também trazer cilindros dos EUA. Por não conseguir aferir a integridade do cilindro, as empresas aéreas não transportam este tipo de objeto, independente de seu conteúdo.

A FAB, por sua vez, tem utilizado o KC-390 para fazer o transporte emergencial de cilindros de oxigênio. A força conta com quatro unidades do modelo, sendo que uma está fora no país, nos EUA, para um treinamento conjunto entre os exércitos do Brasil e americano.

 

 

 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »