07/04/2021 às 17h39min - Atualizada em 08/04/2021 às 00h00min

Novo estudo mostra a pureza e a eficácia da fosfoetanolamina bioidêntica

Experimento in vitro comparou células tumorais e células sadias. De acordo com pesquisadores, os resultados foram satisfatórios

SALA DA NOTÍCIA Rosangela Andrade
Assessoria
Freepik
Diante de tantos desafios atuais enfrentados pela população mundial relacionados a proteção da saúde, muitas pessoas continuam no embate com a procura de melhores soluções para a melhora das suas enfermidades.

Com isso, pesquisas nessa área continuam sendo realizadas e podem levar a tratamentos eficazes para auxiliar na manutenção da saúde e tanto prevenir como combater doenças — incluindo o câncer —, consequentemente aumentando a expectativa de vida.

Em estudo publicado no Journal of Pharmacy and Pharmacology, pesquisadores atestaram a pureza e eficácia da fosfoetanolamina bioidêntica. Por meio de experimentos in vitro (em laboratório), foram comparadas culturas celulares, envolvendo células tumorais e células sadias.

Segundo os autores, esse estudo procura determinar o iC 50%, quantidade de produto em milimolar (mM), necessária para matar as 50% das células de uma cultura celular. Os períodos analisados foram 24, 48 e 72 horas, pois, quanto maior o tempo, menor a quantidade de produto para se chegar ao iC 50%.

Na análise do período de 72h os pesquisadores observaram uma grande diferença na concentração do iC 50%, nas células tumorais (1,8 mM) e nas células sadias (44,1 mM). Desta maneira, com apenas 1,8 (mM), foram mortas 50% das células tumorais. O grupo concluiu que todas as células ruins irão morrer antes que se atinja qualquer célula normal.

Além disso, de acordo com o estudo realizado, as células sadias não sofreram nenhum efeito colateral. No artigo, os pesquisadores descrevem os efeitos antiproliferativos e apoptóticos (onde inicia o processo de morte celular) da fosfoetanolamina bioidêntica.

Para isso, uma parte importante da análise foi realizada por meio do citômetro de fluxo, aparelho capaz separar fisicamente subconjuntos de células (classificação) com base em suas características citométricas (classificadores de células).

Dessa forma, o artigo ressalta no gráfico de 24h, que após a aplicação da fosfoetanolamina bioidêntica, mesmo em baixas concentrações, a grande maioria da população celular tumoral parou de multiplicar. E, no gráfico de 48h, a grande maioria apresentada é a do DNA Fragmentado, célula morta.

Pesquisadores do mesmo grupo também estudaram a eficiência da fosfoetanolamina bioidêntica em outras situações, como melanoma, pulmão e leucemia, com resultados semelhantes.

O artigo 2-aminoethyl dihydrogen phosphate as a modulator of proliferative and apoptotic effects in breast cancer cell lines (doi: 10.17265/2328-2150/2021.03.001), pode ser lido no David Publisher no link http://www.davidpublisher.org/Public/uploads/Contribute/60306f869b0e5.pdf e visto no vídeo explicativo no YouTube em https://youtu.be/-s2n8eTmj1Q.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »