09/07/2018 às 11h46min - Atualizada em 09/07/2018 às 11h46min

Crise na Argentina aumenta número de usuários em grupos de troca no Facebook

Jefferson Belizário
Tudo Celular

As redes sociais podem ser usadas para os mais diversos fins e o Facebook tem contribuído para que muitos argentinos consigam passar pela crise econômica que assola o país. Segundo reportagem da Reuters, com uma inflação de 25%, muita gente tem recorrido a clubes de troca na rede social para chegar ao fim do mês.

A maioria das pessoas que procuram esse tipo de grupo no Facebook é de baixa renda e mora nos subúrbios. Além disso, algumas famílias recorrem a esse tipo negociação porque o salário do mês não consegue suprir suas necessidades.

Assim, centenas de argentinos fazem dos grupos um verdadeiro mercado no qual é possível trocar dois quilos de trigo por um litro de óleo, por exemplo. A reportagem conversou com uma moradora de Buenos Aires para saber como funciona esse tipo de comércio por redes sociais.

Isso me ajuda a trazer leite para os meus filhos, açúcar: as coisas que são mais necessárias - disse Cecilia Gómez





Ela também explicou que seu marido, mesmo com emprego, não consegue suprir as necessidades da casa. A família também recebe cerca de 2 mil pesos de ajuda do governo em um programa social. No entanto, todo o valor não chega ao fim do mês com a inflação aumentando e o fim dos preços subsidiados.

Gómez ainda contou que recentemente trocou um litro de óleo, dois pacotes de açúcar e três pacotes de bolachas por um par de botas para seu filho. Isso foi possível graças a um anúncio que ela viu em um grupo que participa no Facebook.

O governo argentino se recusou a comentar a reportagem, mas Jesica Galera, fundadora de um dos grupos no Facebook, comentou que ele ganha cerca de 50 a 60 novos usuáriospor dia.

Há muitos rostos novos - mulheres cujos maridos perderam seus empregos, ou aqueles casais que trabalham e seus salários não são suficientes

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »