04/11/2021 às 14h01min - Atualizada em 13/11/2021 às 00h00min

Dia Nacional de Combate e Luta Contra o Reumatismo

Especialista explica fatores que podem ajudar a identificar o diagnóstico precoce da doença

SALA DA NOTÍCIA Guto Baptista

O mês de outubro celebra uma variedade de datas importantes para a medicina, como o Dia do Médico, da Conscientização e Prevenção ao Câncer de Mama e da Artrite Reumatoide. No próximo dia 30 de outubro, é comemorado o Dia Nacional de Combate e Luta contra o Reumatismo, com o intuito de informar, conscientizar e contribuir para a saúde pública.

No Brasil, segundo a Sociedade Brasileira de Reumatologia, cerca de 15 milhões de pessoas são acometidas pela doença. Existem cerca de 120 doenças reumáticas, que podem afetar crianças, jovens, adultos, homens e mulheres. Entre as principais estão artrite reumatoide, artrose, gota, fibromialgia, osteoporose e febre reumática.  

Segundo a médica reumatologista Cláudia Goldenstein Schainberg, a principal preocupação é não realizar diagnóstico e tratamento precoces, que podem levar à perda de qualidade de vida e incapacidade física. 

“A maioria das doenças reumáticas tem como manifestações iniciais, a dor persistente e o inchaço nas articulações. Essa dor pode surgir como uma espécie de fisgada ou pontada ao realizar tarefas e movimentos simples, como por exemplo manejar um garfo ou faca para se alimentar ou subir escadas. A melhor forma é reconhecer a presença da dor nas articulações e como ela se comporta ao longo do dia para melhorar”, explica a Dra. Claudia.

Situações como esta, causam dificuldades que podem afetar o dia-a-dia e até mesmo atividades no trabalho dos pacientes. De fato, hoje as doenças reumáticas estão entre as principais causas de afastamento e aposentadoria precoce por doença.

“O ideal é procurar um médico especializado para diagnosticar, tratar e nortear quanto à realização de as atividades adequadas. A melhor forma de se cuidar é, sem dúvidas, seguindo as orientações do seu médico, praticar exercícios físicos, manter uma boa alimentação leve e colorida, somada a um estilo de vida saudável”, conclui a especialista.

Sobre a Dra. Cláudia Goldenstein Schainberg

Dra. Cláudia Goldenstein Schainberg é especialista em Reumatologia e Reumatologia Pediátrica. Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal da Bahia, mestrado e doutorado em Medicina (Reumatologia) pela Universidade de São Paulo, especialização nos EUA e Canadá. Atualmente é professora e mentora de novos profissionais na Universidade de São Paulo.

Informações para a imprensa:

Alan Pimentel: (11) 96715-1082 | alan@afontecomunica.com.br

Roberta Santo: (11) 97152-2110 | roberta@afontecomunica.com.br


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »