18/12/2018 às 13h07min - Atualizada em 18/12/2018 às 13h07min

Imagem retrata a noite de desespero de moradores do Educandos.

Aproximadamente 600 casas foram atingidas no incêndio no bairro Educandos

REDAÇÃO
REDAÇÃO
Aproximadamente 600 casas foram atingidas no incêndio no bairro Educandos, em Manaus, na noite desta segunda-feira (17), informou a Defesa Civil à Rede Amazônica. Até a meia-noite desta terça (18), quatro pessoas haviam sido encaminhadas a hospitais de Manaus. Segundo o Corpo de Bombeiros, o fogo já foi controlado e está em fase de rescaldo.

O fogo começou em uma área com dezenas de casas de madeira, entre as ruas Inácio Guimarães e Nova, por volta das 20h, e se propagou para residências de alvenaria. A quantidade de veículos estacionados nas vias, o vento constante e a interrupção na distribuição de energia elétrica agravaram a situação.

“Irei assinar um decreto de calamidade pública para comprar com agilidade, sem a necessidade do burocrático processo de licitação, tudo o que for necessário neste momento para ajudar estas famílias que perderam o pouco que tinham neste incêndio”, disse o prefeito.

Ao lado da primeira-dama e presidente do Fundo ManausSolidária, Elisabeth Valeiko, Arthur esteve no local da tragédia até que o Corpo de Bombeiros controlasse o fogo.

A força-tarefa da prefeitura atuou com equipes do Samu, Defesa Civil, Manaustrans, Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc) e Fundo Manaus Solidária.

 


Manaus Solidária colhe doações


O prefeito disse que, além do auxílio da prefeitura, as doações serão bem-vindas. “O que for possível e estiver dentro das nossas forças será feito para mitigar o sofrimento dessas pessoas”, disse.

“A missão do Fundo Manaus Solidária é justamente essa. Nós estamos aqui prontos para receber doações de roupas, de sapatos, remédios, colchões. Tudo é muito bem-vindo numa situação como essa”, disse Elisabeth.

 
Cadastramento social


Desde a madrugada começou o cadastramento social das vítimas, em trabalho feito pela Semasc. Pelos números iniciais colhidos pela secretaria, são 500 famílias desabrigadas pelo incêndio.

A força-tarefa disponibilizou de imediato duas escolas e um centro social paa os desabrigados.

Nos primeiros atendimentos de vítimas, o Samu socorreu quatro pessoas, levadas ao hospital 28 de Agosto, na zona centro-sul.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »