09/01/2019 às 20h49min - Atualizada em 09/01/2019 às 20h49min

Tentaram Matar Borracheiro Envolvido em Assassinato de PMS

O borracheiro Robson Almeida Rodrigues, 26, pode ter escapado da morte pela segunda vez em poucos dias

Blog do Marcos Santos
Marcos Santos
EXCLUSIVO TENTARAM MATAR BORRACHEIRO ENVOLVIDO EM ASSASSINATOS DE PMS E DIVISÃO DE ARROCHO PODE TER MOTIVADO AS MORTES

O borracheiro Robson Almeida Rodrigues, 26, pode ter escapado da morte pela segunda vez em poucos dias. Grupo de homens, armados e que não quiseram se identificar, foram à procura dele na casa onde mora. A polícia suspeita de tentativa de “queima de arquivo”, ou seja, Robson pode saber mais que contou em depoimento. Robson teria lutado com o tenente dentro do carro, tomou a arma dele e ficou ferido. Agora ele escapou porque não estava em casa. E estaria tomando precauções pessoais de segurança.   

Arrocho Surgiu nova possibilidade no assassinato de um sargento e um cabo da PM. O grupo, segundo essa hipótese, teria feito um “arrocho” em boca de fumo da Zona Norte e depois saído para dividir os valores. O tenente Joselito Pessoa Anselmo teria atirado, ferido e matado porque se sentiu lesado na partilha. Os investigadores devem pedir a quebra do sigilo das Estações Rádio Bases (ERBs), no possível trajeto do grupo. Isso mostraria os contatos que fizeram e revelaria a “boca” onde poderia ter ocorrido o arrocho. Arrocho é gíria policial que significa exigência de propina em dinheiro para proteção a bandidos, principalmente traficantes de drogas.   

Advogados Os advogados do tenente Joselito foram à TV A Crítica, nesta terça (09/12), defendê-lo. Mozart Bessa e Mário Victor acusaram o borracheiro Robson de ser “alcoólatra e cocaineiro”. A acusação teria sido feita pela esposa dele. Também foram duros com o comando do major Ludernilson Lima de Paula, 40, que levou tiro na coluna no evento.   Milícias na PM As mortes do sargento Edizandro Santos Louzada, 40, e do cabo Graziano Monteiro Negreiros, 36, podem ter outros desdobramentos.

A PM está investigando focos de milícias dentro da corporação. São grupos de integrantes da corporação envolvidos com a cobrança de propina de criminosos. Algumas pontas do iceberg já foram reveladas. Um grupo de policiais foi transferido, em dezembro, a pedido do Ministério Público Estadual (MPE), do Município de Tefé. O tenente Smayil Souza dos Santos e um cabo, identificado apenas como Macário, foram presos no dia 1º de novembro, no Centro. Eles teriam tentado extorquir um empresário do ramo de combustíveis. O trabalho de investigação dos milicianos estava sendo realizado pela Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (DRCO).

O delegado Thomaz Vasconcelos, ex-secretário-adjunto de Inteligência, comandava esse trabalho. Embora ele tenha substituído no cargo na mudança de governo, o trabalho continua.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »