06/05/2019 às 09h51min - Atualizada em 06/05/2019 às 09h51min

Homens são denunciados por estupro em Borba.

MIDIA WEB INTERATIVA
MIDIA WEB INTERATIVA
A Polícia Civil na cidade de Borba, no Amazonas, cumpriu na tarde desta terça-feira (2), três mandados de prisão preventiva e um de busca e apreensão em nome de pessoas procuradas por estupro de vulnerável na cidade.

Conforme a autoridade policial, os infratores, três homens de 26, 27 e 37 anos, além de um adolescente de 16 anos, filho do indivíduo de 37 anos, foram localizados ao longo da tarde desta quinta-feira (02/05), nas respectivas casas onde moravam, sendo três deles no bairro Ipiranga e um no bairro Bela Vista, em Borba, município distante 151 quilômetros em linha reta da capital.

“Um desses elementos estuprou a própria filha, uma criança de seis anos. Outro deles é padrasto da vítima, de oito anos. Já pai e filho estupraram a vizinha deles, de nove anos, quando a criança ia brincar na casa deles com a filha do dono da residência. Estamos em busca, ainda, de um quarto elemento, que possivelmente fugiu para Manaus. Ele está sendo procurado por estuprar a enteada dele, de doze anos”, explicou Cunha.
De acordo com o titular da 74ª DIP, as diligências em torno dos casos tiveram início após o recebimento de denúncias, feitas por professores das escolas onde as vítimas estudam. Adilson Cunha ressaltou que, em uma das situações, a mãe de uma das vítimas procurou a unidade policial após reparar mudanças anormais nas partes íntimas da filha e denunciou o próprio companheiro.

Vítimas
Todas do sexo feminino, foram submetidas a exames de conjunção carnal e coito anal, que confirmaram os estupros.

Conduzidos à unidade policial, os homens de 26, 27 e 37 anos foram indiciados por estupro de vulnerável. Já o adolescente irá responder por ato infracional análogo ao crime de estupro de vulnerável.

Ao término dos trâmites legais, eles serão mantidos na carceragem da 74ª DIP, que funciona como unidade prisional em Borba. Adilson Cunha disse, ainda, que o adolescente ficará à disposição do Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM).
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »