Veja perfil do pastor Sebastião, falecido hoje; Assembleia de Deus fará cortejo

Fiéis  Igreja Assembleia de Deus de Cuiabá irão fazer um cortejo fúnebre em homenagem ao seu pastor presidente Sebastião Rodrigues de Souza, de 89 anos. Ele morreu vítima da Covid-19 (a doença causada pelo coronavírus), na madrugada desta quarta (8), após passar 12 dias internado. Ele era líder da religião no Estado para mais de 400 mil pessoas.

Segundo post no Facebook da Igreja Assembleia de Deus, o cortejo sairá às 16h desta quarta (8) do Hospital Femina, seguirá para o Grande Templo e depois irão até o Cemitério do Parque Cuiabá, onde haverá uma cerimônia funebre, respeitando as normas de distanciamento social.

A Igreja esclarece que todos devem estar em seus carros, sem descer, e com todos os cuidados necessários.

Sebastião nasceu em 11 de agosto de 1931, na fazenda de seus avós maternos, próximo à cidade de Pirajuba, em Minas Gerais. Se batizou na Igreja Assembleia de Deus aos 17 anos e permaneceu no município mineiro até os 27 anos. Em 1947, numa visita à cidade natal, o pastor encontra Nilda e, dois anos depois, se casaram e tiveram quatro filhos: Silas, Rubens, Silene e Abilio.

Em 12 de dezembro de 1974, o pastor chegou a Cuiabá para assumir a liderança da igreja Assembleias de Deus na Capital mato-grossense. Na época, Cuiabá e Várzea Grande tinham, juntas, apenas sete igrejas. Em 38 anos, ele ajudou a fundar cerca de 280 templos, somando mais de 50 mil membros, entre as duas cidades.

Sebastião também é responsável pela construção do Grande Templo, na Avenida Historiador Rubens de Mendonça, que é tida como o maior templo evangélico da América Latina. O prédio comporta 22,5 mil pessoas, além de funcionar uma escola para crianças e adolescentes do ensino fundamental e médio.

O segundo filho, Rubens Rodrigues, também estava infectado com o vírus e não resistiu. Veio a falecer na última sexta (3) aos 68 anos. Já a esposa Nilda, que também estava internada, está curada e recebeu alta nesta terça (7).

O pator deixa a esposa, 3 filhos, 15 netos, 19 bisnetos e 3 trinetos.

Governo e Prefeitura de Cuiabá decretaram luto oficial de três dias pela morte do pastor. “Tinha por ele uma grande admiração pelo líder e homem de Deus que ele sempre foi”, afirmou o governador Mauro Mendes (DEM). Já o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) declarou que a morte do pastor é “uma grande perda para a sociedade cuiabana, para Mato Grosso”. A Câmara de Cuiabá também declarou luto de três dias e suspendeu atividades legislativas.

Fonte: RD News

ASSISTA O VÍDEO ABAIXO

× FALE CONOSCO