São Paulo já contabiliza 221 mortos em decorrência da Dengue

São Paulo já contabiliza 221 mortos em decorrência da Dengue

Com a propagação da epidemia de dengue no país, o estado de São Paulo já registra um total de 221 óbitos relacionados a complicações da doença. Segundo informações da Secretaria da Saúde, até o último domingo (7), data em que o balanço foi atualizado, o estado contabilizava 1.037.620 casos notificados da arbovirose, dos quais 471.989 (45,4%) foram confirmados.

É importante ressaltar que o número de mortes pode aumentar, uma vez que 495 óbitos ainda estão sob investigação, aguardando resultados de exames laboratoriais ou classificação por critérios clínico-epidemiológicos. Dos casos já confirmados, 567 foram identificados como dengue grave, também conhecida como dengue hemorrágica.

De acordo com o Instituto Butantan, aproximadamente uma em cada 20 pessoas pode desenvolver a forma grave da dengue, que é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. Os sintomas dessa versão mais severa da doença incluem dor abdominal intensa, vômitos persistentes que podem conter sangue, sangramento nas gengivas ou no nariz, dificuldade para respirar, confusão mental, fadiga, aumento do fígado, queda da pressão arterial e presença de sangue nas fezes. Caso um paciente apresente esses sintomas, é recomendado que procure imediatamente atendimento médico, pois há o risco de complicações graves e até mesmo morte dentro de um período de um a dois dias após o surgimento desses sinais.

No estado de São Paulo, mais de 245 mil casos confirmados (60,3%) são de indivíduos brancos, o que pode sugerir um maior acesso aos serviços de saúde. A parcela de pacientes pretos corresponde a 7,34% (29.872 casos), enquanto a de pardos é de 31,1% (126.838 casos). Os sintomas mais relatados aos profissionais de saúde são febre, dor de cabeça, dores musculares, náuseas, dor nas costas e dor atrás dos olhos, conhecida como dor retro-orbitária. Além disso, vômitos, dores nas articulações, inflamações nas articulações, exantema (manchas avermelhadas na pele), petéquias (manchas marrom-arroxeadas), leucopenia (redução de glóbulos brancos no sangue), prova do laço positiva (quando mais de 20 pontos vermelhos são observados em uma área específica da pele) e conjuntivite também têm sido mencionados. Dentre os municípios que enfrentam uma situação mais crítica, destacam-se Campinas, São José dos Campos, Ilhabela, Caraguatatuba, São Sebastião, Ubatuba e Ribeirão Preto. Atualmente, Guarulhos também apresenta uma alta incidência de casos de dengue.

Para se proteger da dengue no Brasil, é fundamental adotar medidas preventivas para evitar a reprodução do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença. Aqui estão algumas orientações importantes:

1. Eliminar os criadouros do mosquito: Verifique regularmente sua casa e arredores em busca de recipientes que possam acumular água parada, como vasos de plantas, pneus, garrafas vazias, latas e recipientes de armazenamento. Remova ou tampe esses objetos para evitar o acúmulo de água onde o mosquito possa depositar seus ovos.

2. Limpar e higienizar: Mantenha os recipientes de água utilizados, como baldes e caixas d’água, sempre limpos e tampados corretamente. Escove as bordas dos recipientes que não podem ser tampados para eliminar os ovos do mosquito.

3. Cuidado com a água parada: Evite deixar água parada em qualquer lugar, como calhas entupidas, pratos de plantas, piscinas sem uso e poças. Mantenha essas áreas sempre limpas e bem drenadas.

4. Proteger-se contra picadas: Use roupas que cubram todo o corpo, especialmente durante o amanhecer e o entardecer, períodos em que os mosquitos são mais ativos. Utilize repelentes de insetos recomendados pelas autoridades de saúde, aplicando-os nas áreas expostas da pele.

5. Telas de proteção: Instale telas nas janelas e portas para impedir a entrada do mosquito em sua residência. Verifique se as telas estão em boas condições, sem rasgos ou furos.

6. Cuidado com áreas externas: Evite acumular lixo ou entulho em seu quintal, pois esses materiais podem se tornar locais propícios para a proliferação do mosquito. Mantenha o ambiente limpo e organizado.

7. Informar-se: Esteja atento às informações e campanhas de conscientização promovidas pelas autoridades de saúde, que fornecem orientações atualizadas sobre a prevenção da dengue.

Lembrando que a dengue é uma doença grave, portanto, se você apresentar sintomas como febre alta, dores intensas no corpo e nas articulações, dor atrás dos olhos, náuseas, vômitos, manchas na pele ou qualquer outro sintoma preocupante, procure imediatamente atendimento médico. O diagnóstico precoce e o tratamento adequado são fundamentais para evitar complicações graves.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *