Criticado, vereador Toninho de Souza resolve ‘espernear’

O vereador de Cuiabá, Toninho de Souza (PSDB), decidiu processar o Grupo Gazeta de Comunicação, pedindo indenização moral de R$ 41,8 mil após críticas que alguns apresentadores do rádio e televisão fizeram em programas por conta da sua atuação na Câmara Municipal, votando sempre a favor do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) e contra qualquer investigação relacionada à gestão atual.

Segundo o vereador, as críticas que vem sofrendo o prejudicam eleitoralmente, e que jornalistas estariam lançando difamações e inverdades em seu desfavor.

O parlamentar se sente no direito de pressionar a imprensa para não ter a sua atuação como parlamentar questionada. Ele afirma que foi obrigado a se afastar de suas funções da igreja que frequenta por ter a imagem desgastada. Além disso, o vereador diz que o Grupo Gazeta deve arcar com as consequências de sua perda de patrocinadores e de audiência do seu programa de televisão.

Trilha contraditória

O parlamentar acredita que a sua bancarrota política e profissional nos últimos meses, principalmente após ter votado contra a cassação do prefeito Emanuel Pinheiro, se deve ao Grupo Gazeta de Comunicação e não pela sua atuação parlamentar, que sempre foi cheia de contradições.

Em 2011, após criticar o então prefeito da época, Chico Galindo (PTB) pelo projeto de privatização da extinta Sanecap, acabou votando favorável, após o líder do governo época, o ter chamado para uma reunião. Meses depois, o vereador disse ter se arrependido de ter votado favoravelmente, e que votou sem ler o projeto, que estava sendo debatido por meses em Cuiabá.

Já na atual legislatura, Toninho de Souza se posicionou contrário à criação da CPI do Paletó para investigar o atual prefeito. Porém, deixou a base do governo e assinou a CPI.

Após várias reuniões com Emanuel Pinheiro, Toninho se tornou um dos principais defensores do prefeito . Como relator, votou pelo arquivamento, tendo como argumentos, de que o caso já estaria sendo investigado por outros órgãos competentes.

Outro lado

Por meio de nota, o Grupo Gazeta de Comunicação lembra que Toninho de Souza trabalhou na empresa por 26 anos e só deixou o grupo por decisão pessoal. A empresa também afirma que tudo o que foi publicado envolvendo o vereador foi com base em suas ações públicas, como entrevistas, discursos e atuação na Câmara.

ASSISTA O VÍDEO ABAIXO