Promotoria da Espanha pede prisão de Luis Rubiales por beijo forçado em jogadora

Promotoria da Espanha pede prisão de Luis Rubiales por beijo forçado em jogadora

A procuradora da Suprema Corte da Espanha solicitou uma pena de 2 anos e meio de prisão para o ex-presidente da Real Federação Espanhola de Futebol, Luis Rubiales, devido a um beijo forçado na jogadora Jenni Hermoso durante a celebração da conquista da Copa do Mundo feminina pela seleção espanhola no ano passado. A promotora Marta Durántez apresentou acusações de agressão sexual e coerção contra Rubiales pelas supostas ações após o beijo, de acordo com relatos de agências de notícias. Essas acusações incluiriam pressionar a jogadora a afirmar que consentiu com o beijo. Portanto, a primeira acusação acarretaria em uma pena de um ano de prisão, enquanto a segunda resultaria em um ano e meio. O incidente ocorreu em 20 de agosto de 2023, durante a comemoração do título mundial pela seleção espanhola de futebol feminino em Sidney, Austrália. Tanto a jogadora quanto suas companheiras de equipe afirmaram que o beijo foi indesejado.

Rubiales e os diretores da federação negaram qualquer irregularidade

Rubiales, no entanto, afirmou que o gesto foi consensual. O ex-técnico da seleção, Jorge Villa, o diretor esportivo Albert Luque e o chefe de marketing da federação, Ruben Rivera, também negaram qualquer conduta imprópria. Todos eles foram alvo de denúncias por supostamente coagirem Hermoso a afirmar que o beijo foi consensual. O trio também está sendo processado por uma indenização de € 50 mil (aproximadamente R$ 270 mil) solicitada por Jenni Hermoso. O mesmo valor é exigido de Luis Rubiales. Apesar do pedido de prisão, Rubiales não necessariamente seria encarcerado devido à pena. Isso ocorre porque a legislação espanhola permite a suspensão de sentenças quando estas, individualmente, não excedem 2 anos.

ASSISTA O VÍDEO ABAIXO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× FALE CONOSCO